∴ Diogenes Bandeira - Consultor de Segurança Eletrônica ∴

∴ Diogenes Bandeira - Consultor de Segurança Eletrônica ∴

Japão executa réu condenado à pena de morte, o primeiro em 2014.


O Japão executou um réu na forca nesta quinta-feira (26), a primeira aplicação da pena de morte neste ano e a nona desde que o Partido Liberal-Democrata (PLD) chegou ao governo no final de 2012, informou a agência "Kyodo".

O condenado era Masanori Kawasaki, de 68 anos, que foi executado em Osaka, no oeste do país, pelo assassinato de suas duas netas e de sua cunhada em 2007, anunciou o ministro da Justiça do Japão, Sadakazu Tanigaki.

Japão e Estados Unidos são os únicos países industrializados e democráticos que ainda aplicam a pena de morte. O país asiático executa os condenados na forca em total segredo, sem aviso prévio aos réus e sem testemunhas, e apenas comunica as execuções para a opinião pública depois que já foram realizadas.

Kawasaki foi condenado à morte por assassinar sua cunhada e suas duas netas, de 3 e 5 anos, com uma faca, na província de Kagawa, sul do país.

O condenado foi até a casa de sua cunhada 'por rancor', e após matá-la e as duas meninas, levou os corpos para enterrá-los em outro local e tentar ocultar o crime, segundo a investigação policial.

"É um caso muito cruel, já que acabou com as vidas valiosas de três pessoas por uma razão egocêntrica", afirmou o ministro da Justiça do Japão.

Tanigaki acrescentou que foi 'muito difícil para a família das vítimas', e explicou que as autoridades 'revisaram o caso com cautela antes de realizar a execução'.

O ministro japonês evitou explicar os motivos para a decisão de executar Kawasaki, pois, atualmente, o país tem 128 réus condenados à pena capital no corredor da morte.

Além disso, declarou que o governo 'não pensa em reformar o sistema da pena de morte por enquanto'.

As últimas execuções no país aconteceram no dia 12 de dezembro, quando dois presos foram executados em Tóquio e Osaka.

Veículos da imprensa japonesa, como o jornal "Asahi", atribuem a demora entre as execuções de dezembro e a de hoje ao caso de Iwao Hakamada, que foi libertado em março após ter passado 46 anos no corredor da morte, depois que novas provas foram descobertas sobre o assassinato múltiplo do qual era acusado.

Hakamada, considerado o homem que ficou por mais tempo no corredor da morte no mundo, é um ex-boxeador de 78 anos que sofre de uma doença mental e foi condenado à pena de morte em 1968, sentença que ficou suspensa por um tribunal japonês que decidiu rever seu caso.

O ministro da Justiça defendeu a pena capital em várias ocasiões com o argumento de que a maioria dos japoneses apoia este sistema.

Fonte: EFE.
Japão executa réu condenado à pena de morte, o primeiro em 2014. Japão executa réu condenado à pena de morte, o primeiro em 2014. Reviewed by Diogenes Bandeira on 17:33:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Pixel Segurança Eletrônica

Pixel Segurança Eletrônica
Tecnologia do Blogger.