∴ Diogenes Bandeira - Consultor de Segurança Eletrônica ∴

∴ Diogenes Bandeira - Consultor de Segurança Eletrônica ∴

Supermercados no futuro podem ser substituídos por aplicativo de smartphone para compra do mês


Um grupo de jovens empresários investiu R$ 10 milhões numa startup com a proposta de que as pessoas aposentem o carrinho de supermercado para fazer a “compra do mês”, que inclui itens básicos, como sabão em pó, óleo e papel higiênico. A ideia é que, por meio do site ou aplicativo da Home Refill, os consumidores programem a compra desses itens sem sair de casa. O serviço estreia oficialmente na próxima semana, apenas na cidade de São Paulo.

Faz um ano e sete meses que Guilherme Aere dos Santos, de 26 anos, presidente executivo da Home Refill, testa o conceito. “A plataforma vai dar economia, o consumidor não poderá mais ser enganado”, diz Santos. Segundo ele, a ineficiência dos supermercados – com quase 90 dias de estoques acumulados entre centros de distribuição e lojas – geram uma experiência ruim para comprador.

Um dos motes da campanha publicitária, assinada pelo publicitário Caio Andrade, é que hoje o consumidor paga por dois produtos, leva três, mas na verdade só precisa de um. Segundo os executivos, o serviço vai ajudar a acabar com a compra por impulso, deixará de acumular produtos desnecessários em casa e poderá usufruir dos benefícios da negociação direta com a indústria.

O sócio e diretor financeiro da empresa, Eduardo Chazan, de 27 anos, diz que hoje as negociações entre o varejo e a indústria estão difíceis e os fabricantes, muito pressionados.

A proposta, no modelo da Home Refill, é comprar os produtos diretamente dos distribuidores e de indústrias de segmentos diversos. Oito grandes fabricantes, entre as quais a Unilever, e 200 fornecedores já vendem seus produtos para a plataforma.

Medida certa 
Durante o período de testes, os empreendedores conseguiram identificar a lista de compra básica para oito perfis: solteiro, casal sem filho, casal com filhos até 3 anos, casal com filhos até 12 anos, casal com filhos mais velhos, repúblicas, pequenos escritórios e consumidores idosos. Ao fazer o cadastro na plataforma, a pessoa vai escolher o perfil em que se encaixa e personalizar a lista.

Ao todo, mais de 2 mil produtos estão disponíveis no Home Refill, entre alimentos, artigos de higiene e limpeza, utilidades domésticas e itens para animais de estimação. O consumidor vê o preço daquele produto nas lojas físicas, o preço médio e a economia proporcionada pela compra no site. A entrega é realizada sete dias após o pagamento com cartão de crédito, sem custo de frete.

Santos conta que a isenção de frete é possível porque a startup tem como sócia a Logos, uma das maiores empresas de logística do mercado brasileiro. Ela compartilha seus caminhões para transportar produtos e também os centros de distribuição.

Economia 
Após a primeira compra, um algoritmo vai monitorar a lista de produtos criada pelo consumidor e oferece marcas com preços mais em conta, além de ajudar o cliente comprar as quantidades de produto que realmente precisa.

Chazan calcula que, numa cesta com 72 produtos, o consumidor que utiliza o Home Refill pode economizar, em média, 15% no valor total, na comparação com a compra em supermercados.

Os jovens empresários têm metas ousadas: atualmente, eles faturam R$ 600 mil, com um total de 2 mil consumidores cadastrados. Até dezembro deste ano, eles estimam que terão 30 mil clientes e faturamento de até R$ 11 milhões. Procurada ontem, a Associação Paulista de Supermercados (Apas) disse que não tinha porta-voz para comentar o assunto.

Para os executivos, a chave do sucesso da plataforma é a relação direta com a indústria, que vai ganhar acesso às informações sobre o perfil de consumo das pessoas. A médio prazo, isso permitirá que elas programem melhor sua produção. Quanto a possíveis conflitos de interesses da indústria escoar seus produtos pelas lojas tracionais e também por meio de aplicativos, a Unilever informou, por meio de nota, que “tem uma estratégia diversificada para atender a diferentes necessidades e perfis de consumidores”.




Supermercados no futuro podem ser substituídos por aplicativo de smartphone para compra do mês Supermercados no futuro podem ser substituídos por aplicativo de smartphone para compra do mês Reviewed by Diogenes Bandeira on 15:02:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Pixel Segurança Eletrônica

Pixel Segurança Eletrônica
Tecnologia do Blogger.