∴ Diogenes Bandeira - Consultor de Segurança Eletrônica ∴

∴ Diogenes Bandeira - Consultor de Segurança Eletrônica ∴

Sindicato em MG pede mais segurança para trabalhadores do setor bancário


Os recentes assaltos a bancos que utilizam gerentes e familiares como reféns vem causando preocupação entre trabalhadores do ramo financeiro. O presidente do Sindicato dos Bancários de Poços de Caldas e região tem pedido mais segurança. Em apenas dois meses, pelo menos quatro agências bancárias e uma dos Correios foram roubadas no Sul de Minas com a mesma forma de agir dos criminosos.

O último alvo foi uma agência dos Correios em Guaranésia (MG). O gerente e a mulher dele foram feitos reféns na segunda-feira (27) por homens armados. Segundo a polícia, um deles obrigou o gerente a ir até a agência, enquanto a esposa ficou sob o poder dos criminosos em casa. Para não chamar a atenção dos funcionários, o assaltante se vestiu com a roupa dos Correios. O que chama a atenção da polícia é que o modo de agir dos assaltantes é parecido. As quadrilhas sempre rendem os funcionários e parentes para levar o dinheiro.

No começo de maio, a Polícia Civil apresentou quatro dos cinco suspeitos de assaltarem uma agência do Banco do Brasil em Três Corações (MG). No dia do assalto, os criminosos invadiram a casa do gerente do banco e fizeram parte da família dele refém. Ao todo, foram levados cerca de R$ 1,8 milhão. Parte do dinheiro foi recuperado.

Na semana passada, as agências do Banco do Brasil em Conceição da Aparecida (MG) e do Sicoob, em Alterosa(MG), foram roubadas ao mesmo tempo. Em Alterosa, o gerente foi rendido enquanto a mulher dele e os dois filhos do casal ficaram sob o poder dos bandidos. Já em Conceição da Aparecida, o gerente e a família dele ficaram à noite toda com os assaltantes. Na sexta-feira de manhã, ele foi obrigado a abrir a agência e um dos assaltantes, disfarçado de mulher, também pegou o dinheiro do cofre.

O delegado regional de Poços de Caldas (MG) diz que essas quadrilhas geralmente analisam a rotina dos funcionários e preferem agir em cidades menores.

“Em razão da simplicidade da população, muitas vezes fica fácil conseguir essa informação. Chega em uma cidade pequena e pergunta onde mora o gerente qualquer um informa e de maneira inocente até. Então eles fazem esse levantamento da vida do gerente junto à família, que horas chega em casa, que hora que a mulher e os filhos chegam em casa”, diz o delegado regional Sérgio Elias Dias.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Poços de Caldas e Região, existem cláusulas na convenção coletiva dos bancários que protegem os trabalhadores desse tipo de violência. No entanto, segundo Agnaldo Viana, essas medidas têm sido incapazes de impedir a ação dos criminosos nas agências.

“É pífio perante ao terrorismo que a bandidagem impõe nessas agências bancárias. Precisa haver uma pressão maior da questão de segurança, seja Polícia Militar, Civil e até Polícia Federal para coibir esses bandidos”, disse o presidente do sindicato, Agnaldo Viana.


Sindicato em MG pede mais segurança para trabalhadores do setor bancário Sindicato em MG pede mais segurança para trabalhadores do setor bancário Reviewed by Diogenes Bandeira on 18:17:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Pixel Segurança Eletrônica

Pixel Segurança Eletrônica
Tecnologia do Blogger.