∴ Diogenes Bandeira - Consultor de Segurança Eletrônica ∴

∴ Diogenes Bandeira - Consultor de Segurança Eletrônica ∴

Sistemas de Aterramento - Fluke 1623 e 1625.


Para que o Aterramento?

O aterramento insuficiente não só contribui para um tempo de inatividade desnecessário, mas a falta de aterramento é também perigosa e aumenta o risco de falhas de equipamentos. Sem um sistema de aterramento eficaz, estaríamos expostos ao risco de choque elétrico, sem falar nos erros de instrumentação, problemas de distorção harmônica, problemas no fator de energia e diversos outros possíveis dilemas intermitentes. Se as correntes de fuga não tiverem um caminho para o solo com um sistema de aterramento corretamente projetado e mantido, elas passarão por caminhos não planejados, que podem incluir pessoas. As organizações a seguir possuem recomendações e/ou padrões para aterramento a fim de garantir a segurança:

OSHA (Occupational Safety Health Administration) »
NFPA (National Fire Protection Association) »
ANSI/ISA (American National Standards Institute and Instrument Society of America) »
TIA (Telecommunications Industry Association) »
IEC (International Electrotechnical Commission) »
CENELEC (European Committee for Electrotechnical Standardization) »
IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers) »

No entanto, um bom aterramento não é só seguro, ele também é usado para evitar danos às plantas e equipamentos industriais. Um bom sistema de aterramento aumentará a confiabilidade do equipamento e reduzirá a probabilidade de danos causados por raios ou correntes de fuga. Bilhões são perdidos todos os anos devido a incêndios elétricos no local de trabalho. Esse valor não abrange os custos de litígios relacionados e a perda de funcionários e da produtividade corporativa.

Por Que Testar Sistemas de Aterramento?

Com o passar do tempo, solos corrosivos com alto valor de umidade, alto valor de sal e altas temperaturas podem degradar as hastes de aterramento e suas conexões. Portanto, apesar do sistema de aterramento apresentar valores baixos de resistência de aterramento ao ser instalado inicialmente, essa resistência pode aumentar se as hastes de aterramento forem degradadas. Por esse motivo, recomenda-se fortemente que todos os aterramentos e conexões de aterramento sejam verificados ao menos uma vez por ano como parte do seu plano normal de Manutenção Preditiva. Durante essas verificações periódicas, se for medido um aumento de resistência de mais de 20%, o técnico deve investigar a origem do problema e executar a correção necessária para reduzir a resistência, substituindo ou adicionando hastes de aterramento ao sistema.

O Que é o Aterramento e o Que Ele Faz?

O NEC, National Electrical Code, Artigo 100 define o aterramento como: "uma conexão de condução, intencional ou acidental, entre um circuito ou equipamento elétrico e o solo, ou algum corpo condutor que funciona como o solo". No que se refere ao aterramento, há dois tópicos diferentes: aterramento de solo e aterramento de equipamentos. O aterramento de solo é uma conexão intencional de um condutor de circuitos, normalmente o neutro, ao eletrodo de aterramento colocado no solo. O aterramento de equipamentos garante que o os equipamentos que operam em uma estrutura estejam corretamente aterrados. Esses dois sistemas de aterramento devem ser mantidos separados, exceto pela conexão entre os dois sistemas. Isso evita diferenças do potencial de tensão de um possível flashover raios. O objetivo do aterramento, além da proteção das pessoas, plantas e equipamentos, é fornecer um caminho seguro para a dissipação das correntes de fuga, raios, descargas estáticas, sinais de EMI e RFI e interferências.

O Que é Um Bom Valor de Resistência de Aterramento?

Há um grande desentendimento no que diz respeito ao que constitui um bom aterramento e qual deve ser o valor de resistência de aterramento. Idealmente, um aterramento deve ter zero ohms de resistência. Não há um limite de resistência de aterramento padrão que seja reconhecido por todas as agências. No entanto a NFPA e o IEEE recomendam um valor de resistência de aterramento de 5,0 ohms ou menos. O setor de Telecomunicações frequentemente usou 5,0 ohms ou menos como valor de aterramento e ligação. O objetivo é atingir o menor valor de resistência de aterramento cabível econômica e fisicamente.


Os Fluke 1623 e 1625 são equipamentos de teste de terra específicos que realizam os quatro tipos de medições de terra. Concretamente, os equipamentos de teste Fluke 1623 e 1625 medem resistências de loop de terra utilizando apenas pinças – o chamado teste sem estacas. Este método não necessita que sejam utilizadas estacas de terra, nem que as varetas de terra sejam desligadas.
 
Métodos de teste:
  • Queda de potencial tripolar e quadripolar – teste de terra padrão utilizando duas estacas de terra
  • Teste selectivo – sem desligar as varetas de terra, um técnico pode medir a resistência de terra utilizando uma combinação de estacas e uma pinça.
  • Teste sem estacas – solução inovadora através da utilização de pinças em vez de estacas de terra, para medir resistência de loop de terra.
O Fluke 1625 proporciona as seguintes funções avançadas
  • Controlo Automático de Frequência (AFC) – identifica a interferência existente e selecciona uma frequência de medição para minimizar o seu efeito, proporcionando valores de medições de terra mais precisos.
  • Medição R* – calcula a impedância de medição de terra a 55 Hz, para reflectir com maior precisão a resistência de terra que se verificaria numa avaria de terra.
  • Limites ajustáveis – para uma verificação rápida dos resultados do teste.

Sistemas de Aterramento - Fluke 1623 e 1625. Sistemas de Aterramento - Fluke 1623 e 1625. Reviewed by Diogenes Bandeira on 20:02:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Pixel Segurança Eletrônica

Pixel Segurança Eletrônica
Tecnologia do Blogger.